Matriz de risco aponta apenas duas regiões em estado gravíssimo em SC

Nordeste e Foz do Rio Itajaí permanecem no nível máximo de atenção para a Covid-19
O quadro apresenta melhora significativa principalmente devido ao avanço da vacinação

A matriz de risco potencial divulgada neste sábado (14) pelo governo de Santa Catarina mostra que apenas duas regiões permanecem classificadas com o risco gravíssimo (cor vermelha). Apenas a região Nordeste e a Foz do Rio Itajaí permanecem no nível máximo de atenção para a Covid-19. As regiões do Alto Vale do Rio do Peixe, Extremo Oeste, Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê foram classificadas com o risco Grave (cor laranja). Outras sete regiões estão classificadas com o Risco Alto (cor amarela): Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Carbonífera, Extremo Sul, Laguna, Meio Oeste e Serra Catarinense.

De acordo com a cientista de dados da secretaria da saúde, Bianca Vieira, o quadro apresenta melhora significativa principalmente devido ao avanço da vacinação. "Há redução no número de óbitos e no quesito de capacidade de atenção, que avalia a ocupação em UTIs, conforme a vacinação é ampliada. Temos pouco mais de 20% da população vacinada com a segunda dose e à medida que avançamos na imunização, transformaremos esse mapa em um cenário mais confortável para a nossa população", avalia.

Delta
A secretaria da saúde divulgou uma nota de alerta visando o fortalecimento das medidas de prevenção diante da presença da variante Delta do coronavírus em solo catarinense. O documento revela que, até o dia 10 de agosto, foram detectados 36 casos da variante Delta em 20 municípios. Desse total, quatro são considerados casos autóctones (de transmissão dentro do estado), sete casos importados (transmissão fora do estado) e 25 estão em investigação sobre o local provável de infecção. "Acredita-se que com a conclusão das investigações e a continuidade das ações de Vigilância Genômica, realizada a partir de mostras biológicas com resultados detectáveis pela metodologia de RT-qPCR para o vírus SARS-CoV-2, em breve será decretada oficialmente a transmissão comunitária da VOC Delta no Estado de Santa Catarina", constata o parecer.

A nota traz uma série de iniciativas que devem ser adotadas pelas equipes de vigilância sanitária e epidemiológica, serviços de saúde e população em geral. Entre as principais medidas está a organização de estratégias de preparação e resposta frente a uma possível nova onda de casos e intensificação de vacinação. E para a população em geral, o alerta é para manter as medidas de prevenção como uso de máscaras, distanciamento social evitando aglomerações e ambiente com pouca ventilação e lavagem das mãos, além de buscar a vacinação assim que as doses estiverem disponíveis.

Veja mais notícias sobre CoronavírusSanta CatarinaSaúde.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 01 Dezembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/