Apenas a região Nordeste de SC é classificada em risco gravíssimo pela segunda semana consecutiva

Como observado nas últimas semanas, o quesito de capacidade de atenção permanece sendo o destaque positivo
Santa Catarina iniciará distribuição de vacinas para a segunda dose

A matriz de risco potencial divulgada neste sábado (18) pelo governo de Santa Catarina mostra que pela segunda semana consecutiva apenas a região Nordeste está classificada com risco gravíssimo (cor vermelha) para Covid-19. Outras quatro regiões apresentam risco grave (cor laranja) e onze risco potencial alto (cor amarelo).

Foi observada uma melhora em relação à classificação do boletim divulgado na semana anterior. Na ocasião, além da região Nordeste em estado gravíssimo, sete regiões apresentaram risco grave e oito risco potencial alto.

Como observado nas últimas semanas, o quesito de capacidade de atenção permanece sendo o destaque positivo, com treze regiões em risco moderado (cor azul). Apenas as regiões Nordeste e Planalto Norte, no gravíssimo, e Xanxerê, no grave, apresentam níveis mais preocupantes em relação à ocupação de leitos de UTI.

As regiões em risco alto são Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Extremo Oeste, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Laguna, Médio Vale do Itajaí, Meio Oeste e Serra Catarinense. Já as em risco grave são Extremo Sul, Oeste, Planalto Norte e Xanxerê.

Como a Matriz classifica o risco das regiões
A matriz é organizada em quatro dimensões de prioridade: gravidade, transmissibilidade, monitoramento e capacidade de atenção. A variável de óbitos na semana por 100 mil habitantes se denomina gravidade e é a informação epidemiológica mais precisa. A dimensão também aborda a tendência de internação por Síndrome Respiratória Aguda Grave por 100 mil habitantes.

A taxa de transmissibilidade (Rt) é agrupada com o número de infectantes por 100 mil habitantes na dimensão de transmissibilidade. Já a de monitoramento avalia as variáveis de cobertura vacinal em maiores de 18 anos com segunda dose ou dose única completa, bem como a variação de número de casos semanal. A capacidade de atenção, por sua vez, é a taxa de ocupação de leitos de UTIs adulto SUS reservado para Covid-19.

Santa Catarina vai enviar na próxima segunda-feira (20) 33.714 doses da vacina Pfizer às 17 Unidades Descentralizadas de Vigilância Epidemiológica (UDVEs). Elas serão usadas para o início da aplicação da dose de reforço nas pessoas com alto grau de imunossupressão, com esquema vacinal completo a mais de 28 dias.

Nesta distribuição também serão enviadas às UDVEs 248.555 doses da vacina contra a Covid-19 para aplicação da segunda dose, sendo 28.050 da Coronavac; 128.700 doses da Pfizer; e 91.805 doses da AstraZeneca.

As doses da Pfizer devem ser usadas para completar os esquemas vacinais das pessoas que receberam a primeira dose (D1) há pelo menos oito semanas, conforme deliberação da CIB aprovada em reunião extraordinária no último dia 16, que antecipou a aplicação da segunda dose de doze para oito semanas.

Veja mais notícias sobre CoronavírusSaúdeSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 21 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/