Energia para o mundo

Programa da Copel promove educação de qualidade e contribui para Agenda 2030
Esta é a primeira edição do programa, que deve ganhar novas edições semestrais e beneficiar até 150 jovens estudantes nos próximos anos

Primeira iniciativa da Copel alinhada ao ODS 4 (educação de qualidade), o programa Aluno Energia vai transformar a vida de 15 estudantes do primeiro ano de engenharia elétrica de universidades públicas. Ao longo dos cinco anos em que cursarão a faculdade, os alunos selecionados receberão uma bolsa de estudos equivalente ao salário-mínimo paranaense, hoje no valor de R$ 1.877,19, e contarão com mentoria de um profissional da Copel. Nos últimos dois anos do curso, eles também farão um estágio na empresa.

Esta é a primeira edição do programa, que deve ganhar novas edições semestrais e beneficiar até 150 jovens estudantes nos próximos anos. Para concorrer às bolsas era necessário ter ingressado na universidade pelo sistema de cotas, ter cursado o ensino médio integralmente em escola pública e não possuir outra fonte de renda. Para conquistar a vaga, eles passaram por diferentes etapas, que incluíram a apresentação de documentos, elaboração de vídeo e redação, e uma entrevista final. O resultado final foi divulgado em um evento em meados de novembro, quando os estudantes selecionados conheceram seus mentores e ganharam um laptop para usar nos estudos.

"Para a Copel é motivo de grande alegria compartilhar parte da jornada desses alunos. Recentemente, a companhia incluiu em suas ações voltadas à Agenda 2030 o ODS 4, que coloca em destaque o papel da educação na construção de um mundo melhor", ressaltou o presidente da Copel, Daniel Slaviero. Para ele, ações como esta permitem que todo mundo saia ganhando. "É de responsabilidade das empresas como um todo investir em ações de ESG. Elas ajudam a melhorar a vida das pessoas, contribuem para ampliarmos a conscientização e a qualidade de vida no planeta e ainda geram valor às empresas."

Concentração nos estudos
Para os alunos, o programa representa a possibilidade de dedicação total aos estudos. "É uma iniciativa, a meu ver, muito inovadora. Acredito que vá ajudar na minha graduação, primeiro por conta da tutoria, porque vou ter alguém com quem tirar as minhas dúvidas", comentou Mariana Marcondes Ribeiro, uma das contempladas. Ela destacou o esforço necessário para passar no vestibular e contou que a escolha do curso adveio de uma curiosidade que tinha, desde a infância, em relação a "tudo que tinha a ver com energia".

Essa curiosidade também moveu Pedro Mascarenhas Teixeira, que se mudou de Ipirá, interior da Bahia, para Curitiba, quando foi aprovado no vestibular. "Sempre que eu ganhava um presente do meu pai, eu desmontava porque queria saber o que tinha ali dentro, queria entender como os circuitos funcionavam", disse. Para ele, um dos destaques do programa é a combinação da tutoria com a bolsa e o estágio. "Eu já conversei com o meu tutor, ele é uma pessoa muito experiente. Além disso, tem a ajuda financeira e a garantia do estágio, algo que é muito difícil no início da faculdade."

Para Aline Ferreira Santos, a notícia da seleção foi uma grande surpresa. "Eu fiquei muito feliz. Além de ser um super incentivo para a gente se dedicar mais, vai me permitir focar nos estudos. Fora a chance de aprender e de ser efetivada na empresa no futuro. Então acho que é um programa muito mais amplo do que os cinco anos que são ofertados", ressalta.

Copel e sustentabilidade
O programa Aluno Energia faz parte das ações corporativas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e se insere no conjunto de práticas de ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança) levadas a cabo pela Copel. Além do ODS 4, a companhia assumiu compromisso com o ODS 7 (Energia acessível e limpa), ODS 8 (Trabalho decente e crescimento econômico), ODS 9 (Indústria, inovação e infraestrutura), ODS 11 (Cidades e comunidades sustentáveis) e ODS 13 (Ação contra a mudança global do clima).

A companhia é precursora de ações de sustentabilidade no Brasil. Foi a primeira empresa do setor elétrico a aderir ao Pacto Global, em 2001. Desde 2005, integra o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, em que está listada até hoje. Em 2016 aderiu à Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU).

As ações corporativas de sustentabilidade são norteadas pela Política de Mudança do Clima, que foi lançada em 2016 e estabelece diretrizes para a gestão e redução de emissões de gases de efeito estufa e para enfrentar as consequências das alterações climáticas nos negócios da companhia. Um dos destaques é o Inventário de GEE, documento que segue padrões internacionais para mensurar as emissões de gases de efeito estufa por meio de monitoramento e de um relatório, que conta com verificação externa.

O acompanhamento do inventário contribuiu pra que a Copel lançasse, em 2021, o Plano de Neutralidade de Carbono, que estabelece uma série de metas com o objetivo de neutralizar emissões de gases de efeito estufa até 2030, com base nos compromissos assumidos no Acordo de Paris.

Veja mais notícias sobre Conteúdo Patrocinado.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 14 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/