Santa Clara: uma centenária referência em qualidade

Com o constante aprimoramento tecnológico das três plantas de processamento de leite, a Cooperativa oferece aos consumidores 47 tipos de queijos em 98 formatos que dão água na boca

Quando se fala em queijo, qual marca vem à sua mente? Para a maioria dos gaúchos, há 14 anos ininterruptos, a resposta é Santa Clara. Também pudera: ao todo, são 47 tipos de queijos em 98 formatos, produtos que podem ser degustados em eventos gastronômicos e pontos de vendas localizados em todos os cantos do Rio Grande do Sul. Um dos lançamentos mais recentes – o Danbo (foto) – tem feito muito sucesso. De origem dinamarquesa, produzido com leite de vaca pasteurizado, esse queijo é maturado para desenvolver sabor e textura, mas ainda assim é muito fresco. O sabor é ligeiramente suave e untuoso, podendo ser consumido puro ou em sanduiches. A textura cremosa faz com que derreta bem, permitindo o uso em molhos, coberturas e pizzas harmonizando perfeitamente com cerveja pilsen, wiltbier e vinhos brancos.

Já o queijo coalho tem por si só um encanto e gosto diferenciado. É crocante por fora e macio por dentro. A praticidade possibilita o preparo em questão de minutos. São três sabores na versão palito: orégano, pimenta e tradicional, usado como toque especial nos churrascos ou como entradinha. A versão em pedaços pode ser consumida sem misturas e acrescentada ainda em diversas receitas. "Os consumidores adoram novidades e com o queijo Danbo não está sendo diferente, assim como o já conhecido coalho. Os clientes têm aprovado nosso último lançamento com feedbacks positivos, ressaltando especialmente a cremosidade do Danbo", conta Alexandre Guerra, diretor administrativo e financeiro da Santa Clara, antecipando que a cooperativa, que completou 112 anos em abril, prepara mais novidades ao longo deste ano.

Motivo de tamanho apreço por esses dois itens pode ser atribuído à qualidade dos produtos da Santa Clara, que, desde a produção da matéria-prima, norteia as tomadas de decisão da Cooperativa sediada em Carlos Barbosa, na Serra Gaúcha. Até o produto finalizado, são realizadas cerca de 10 mil análises diárias nos laboratórios da Santa Clara – cuidado que garante que cada item chegue até a casa do consumidor com qualidade. Com o constante aprimoramento tecnológico das três plantas de processamento de leite, a cooperativa ainda alicerça sua gestão nos pilares das causas ambientais e da tradição. A Cooperativa possui três plantas de processamento de leite no Rio Grande do Sul: uma localizada em Carlos Barbosa, que compreende indústria de queijos nobres, derivados lácteos e leites pasteurizados; em Getúlio Vargas, para queijos muçarela e derivados; e em Casca, com planta voltada para o leite Longa Vida. Além disso, a Santa Clara industrializa mais de 775 mil litros de leite por dia. A Cooperativa também tem sete centros de distribuição que são responsáveis pela entrega dos produtos em todo o Brasil.

Comprometida com o futuro do planeta, toda essa produção é feita pela Santa Clara a partir de uma energia limpa e 100% renovável, gerando valor econômico sem ferir o meio ambiente. Outro exemplo louvável das iniciativas sustentáveis da companhia é que toda a lenha usada nas caldeiras das fábricas é extraída de florestas plantadas. A Santa Clara faz questão, ainda, de ser apoiadora do Banco de Alimentos e fazer doações para outras associações comunitárias, hospitais e instituições locais. Tamanho sucesso e comprometimento com a sociedade e o meio ambiente comprovam que o cooperativismo pode ser um grande diferencial – ainda mais quando aplicada a fórmula que a Santa Clara descobriu há muito tempo: a aposta na qualidade.

Veja mais notícias sobre Conteúdo Patrocinado.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 21 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/