Curitiba vai testar tecnologia inédita de rede inteligente 5G

Jaraguá do Sul também participa do projeto piloto
A tecnologia que será testada em Curitiba, na prática, transforma as lâmpadas de iluminação pública em antenas de celular que espalham como Wi-fi o sinal do 5G

Curitiba é a única capital e cidade com mais de 500 mil habitantes do Brasil que irá testar uma tecnologia inédita que permitirá a implementação de redes inteligentes de 5G até o fim de março. A capital paranaense foi escolhida para integrar o projeto piloto Conecta 5G. Além da capital paranaense, também vão participar do projeto piloto Jaraguá do Sul (SC), Ceará-Mirim (RN), Petrolina (PE) e Araguaína (TO). O Conecta 5G terá a duração de 36 meses e recursos da ordem de R$ 10,3 milhões.

A quinta geração das redes móveis (5G) trará muitos benefícios para a população e as empresas, como conexões 100 vezes mais rápidas que o 4G, comunicações sem atrasos e novos serviços de cidades inteligentes. O projeto irá permitir que Curitiba e outros quatro municípios participantes instalem uma tecnologia que integra antenas 5G a luminárias públicas inteligentes, sendo uma solução à necessidade de elevado número de antenas para que a tecnologia 5G opere nesses locais. A tecnologia que será testada em Curitiba, na prática, transforma as lâmpadas de iluminação pública em antenas de celular que espalham como Wi-fi o sinal do 5G.

Como a gestão da iluminação pública é municipal, as prefeituras poderão inclusive gerar receitas acessórias, alugando suas antenas, dentro das luminárias, para as operadoras de telefonia móvel. Além disso, com a integração das antenas 5G às luminárias inteligentes, as cidades poderão criar sua própria infraestrutura de redes 5G e ainda oferecer conectividade rápida para a população.

Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, prevê que, ao participar do Conecta 5G, Curitiba dará um salto ainda maior no processo de transformação digital do município e do setor produtivo, já iniciado há quase cinco anos com iniciativas do Vale do Pinhão, o movimento que une a prefeitura e todo o ecossistema de inovação no desenvolvimento de soluções inovadoras. "As redes de quinta geração são apontadas como uma infraestrutura com potencial de revolução, tanto para a Indústria 4.0 quanto para o processo de adoção de novos serviços de cidades inteligentes. Por isso, a importância de Curitiba participar do Conecta 5G", justifica. Ela lembra que, desde 2019, o município saiu na frente em relação as demais cidades do Brasil ao modernizar as leis que regulamentam a instalação de antenas de telefonia celular na cidade.

Tecnologia
Desenvolvida pelas empresas Nokia e Juganu exclusivamente para ser testada no projeto Conecta 5G, a luminária inteligente contém uma antena 5G embutida e utiliza a tecnologia de chipset da empresa Qualcomm. A internet 5G utiliza ondas (faixas) milimétricas de alta frequência e, por isso, exige mais receptores e repetidores de sinal para transpor obstáculos fixos, como torres e edifícios. Portanto, a implementação da quinta geração de rede móvel prevê a construção de novas bases de conexão. Os testes do projeto-piloto serão realizados em várias faixas da tecnologia 5G, como as de 27.5 e 27.9 GHz (gigahertz) que serão avaliadas em Curitiba, mais próximas da necessidade do setor produtivo. "Com isso, estaremos testando a solução para as redes que beneficiam em especial a Indústria 4.0", conta Cris.

A prefeitura de Curitiba, a Agência Curitiba, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e a secretaria municipal de administração, gestão de pessoal e tecnologia da informação ainda estão definindo os locais, como ruas e outros espaços públicos, onde será instada a tecnologia das antenas 5G integradas a luminárias inteligentes. Os testes devem começar na capital ainda neste primeiro trimestre.

As grandes cidades brasileiras têm prioridade na instalação da infraestrutura 5G pelas operadas de telefonia, que deve ocorrer até março. Pelas regras definidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o serviço 5G das teles começará até julho nas capitais. Depois, as operadoras partirão para cidades com mais de 500 mil habitantes e, na sequência, para os municípios menores.

Quer saber mais sobre tecnologia?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja mais notícias sobre BrasilTecnologiaParanáSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 18 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/