Agronegócio catarinense amplia apoio ao Rio Grande do Sul

O rebanho bovino em território gaúcho começa a padecer pela falta de alimentos
O anúncio foi feito pelo presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, após reunião online com cerca de 80 dirigentes sindicais

O drama das enchentes que assola o Rio Grande do Sul tem uma faceta pouco divulgada, mas igualmente grave: o rebanho bovino em território gaúcho soma mais de 11,9 milhões de cabeças que começam a padecer pela falta de alimentos. Sensibilizada com o sofrimento animal, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) mobilizou os sindicatos rurais de todas as regiões do território barriga-verde para encaminhar, nas próximas semanas, dezenas de carretas com feno e pré-secado para nutrição animal. O anúncio foi feito pelo presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, após reunião online com cerca de 80 dirigentes sindicais. Nessa ocasião, atendendo pedido da direção da federação, os sindicatos aportaram os recursos – cerca de R$ 140 mil – para o pagamento do frete aos transportadores.

Pedrozo relata que o conteúdo para alimentação de bois, vacas e cavalos será obtido pelos Sindicatos e pela Faesc junto aos doadores (produtores catarinenses). Os caminhões serão disponibilizados por empresários parceiros e o custo do transporte será coberto com o aporte de dinheiro dos próprios Sindicatos Rurais catarinenses. A previsão é enviar, nas próximas semanas, pelo menos 40 carretas ao estado vizinho com alimento para o rebanho bovino."Os sindicalistas patronais rurais de Santa Catarina deram demonstração de solidariedade, capacidade de mobilização e liderança em favor dos nossos irmãos gaúchos", proclamou. Nesta semana a Faesc enviou uma carreta carregada de leite longa vida e ainda enviará outra de maçã, pois são dois alimentos para consumo imediato que não exigem preparo prévio.

A distribuição de todas as doações articuladas pela Faesc obedece a orientação da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul (Farsul), que acompanha localmente o drama dos produtores rurais gaúchos. A campanha do sistema sindical barriga-verde não se encerra com essas ações. Em face da emergência da crise climática, os 92 sindicatos Rurais filiados à federação continuarão atentos para atender a novas demandas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 24 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/