Sidebar Menu

Indústria gaúcha cresce acima da média nacional em junho

Santa Catarina também mostrou alta maior que a registrada no país
A pesquisa do IBGE mostra que os crescimentos da indústria regional em maio e junho não representam recuperação total das perdas de março e abril na maioria dos Estados

Mostrando uma recuperação gradativa da produção, a indústria brasileira apresentou, em junho, alta em 14 dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM-Reg), na comparação com maio. Maior parque industrial do país, São Paulo segue puxando a média nacional (8,9%), com alta de 10,2% em comparação com maio. É a segunda taxa positiva consecutiva na indústria paulista, que apresenta retração de 14,2% no acumulado anual.

Em junho, Amazonas (65,7%) e Ceará (39,2%) assinalaram as maiores altas na comparação com maio, com ambos marcando a segunda taxa positiva consecutiva e acumulando ganhos de 95,1% e 42,5% nesse período, respectivamente. Outro destaque da Pesquisa foi a indústria gaúcha, que teve alta maior que a média nacional e registrou 12,6% na comparação com maio. Foi a segunda taxa positiva seguida para o Rio Grande do Sul, acumulando 31,6% em maio e junho. A perda acumulada entre março e abril, entretanto, foi de 37,1%, e a indústria do estado ainda não compensou a perda da pandemia. Na comparação com junho de 2019, a taxa foi de -12,2%.

Além de Rio Grande do Sul e São Paulo, Santa Catarina, com taxa de 9,1% também mostrou alta maior que a média nacional. A região Nordeste (8,0%), Minas Gerais (5,8%), Paraná (5,2%), Pernambuco (3,5%), Pará (2,8%), Goiás (0,7%), Rio de Janeiro (0,7%), Bahia (0,6%) e Espírito Santo (0,4%) completaram o conjunto de locais com índices positivos em junho, na comparação com maio. Por outro lado, Mato Grosso (-0,4%) apontou o único resultado negativo.

A pesquisa do IBGE mostra que os crescimentos da indústria regional em maio e junho não representam recuperação total das perdas de março e abril na maioria dos Estados, ocasionadas pela suspensão das atividades por conta da pandemia da Covid-19. "A indústria, desde maio, segue um crescimento no intuito de compensar as perdas. Ainda estamos na pandemia, ainda há isolamento, mas no caminho para um retorno da produção nos patamares anteriores", reflete Bernardo Almeida, analista da pesquisa.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 29 Setembro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection