Sidebar Menu

Como são as empresas que mais crescem no Brasil

Há um ano, escrevemos um artigo relatando oito mitos everdades do empreendedorismo no Brasil (leia aqui).Entre as verdades, a triste realidade nacional: “poucas empresas brasileirascrescem de verdade”. No país,  apenas 1%das empresas crescem pelo men...
Ideias

Há um ano, escrevemos um artigo relatando oito mitos everdades do empreendedorismo no Brasil (leia aqui).Entre as verdades, a triste realidade nacional: “poucas empresas brasileirascrescem de verdade”. No país,  apenas 1%das empresas crescem pelo menos 20% ao ano, por três anos seguidos? São aschamadas Scale-ups, que mesmo sendo pouquíssimas, têm um impacto gigante naeconomia, sendo responsáveis por quase 60% dos novos empregos. A importânciadessas companhias é tanta que, enquanto uma empresa “normal” contrata em média0,34 funcionário por ano, uma Scale-up gera 31 novos empregos. São 100 vezesmais!

Um estudo inédito, lançado pela Endeavor e Neoway, umaempresa especialista em Big Data, revela as principais características dasempresas que mais crescem no Brasil. Acompanhe, a seguir, os pontos maisimportantes.

1. Scale-ups sãoempresas grandes enquanto pequenas
Sabe aquela história de que todo mundo um dia foi pequeno?Pois é, com as empresas acontece a mesma coisa. As Scale-ups são justamente asempresas que estão mudando de faixa, se tornando grandes – só 8% delas têm maisde 250 funcionários. Os outros 92% das Scale-ups são pequenos e médios negócios(PMEs) que estão só começando.

2. Scale-ups não sãostart-ups
A idade média de uma Scale-up é de 14 anos. Ou maisimpactante ainda: mais de 90% das empresas com crescimento acelerado têm maisde 5 anos de história. Ou seja, se você está começando um negócio agora, sonhegrande, mas saiba que vai precisar trabalhar muito para chegar lá, epossivelmente até demore um pouco.

3. Existem Scale-upsdo Oiapoque (AP) ao Chuí (RS), literalmente
Mais da metade do total de municípios brasileiros é sede deScale-ups (2.806 cidades), inclusive o Oiapoque (AP) e o Chuí (RS). Além disso,quase 60% dessas empresas estão em cidades com menos de 500 mil habitantes. Ouseja, antes de se mudar para uma grande cidade achando que só isso vaitransformar a sua empresa, pense se não é mais importante criar um produto ouserviço melhor, que tenha clientes em todo o país.

4. Mark Zuckerberg éexceção
Histórias como a dele, que largou a faculdade (Harvard, ébom lembrar) e aos 23 anos criou uma empresa bilionária, são a exceção daexceção. Os jovens de até 28 anos representam apenas 5,5% dos empreendedores àfrente de Scale-ups no Brasil. A idade média de um empreendedor de altocrescimento, na verdade, é muito mais alta: 47 anos.

5. Ter patente não égarantia de crescimento
A grande maioria das Scale-ups brasileiras também nãodepende de patentes para crescer: só 139 delas têm essa proteção, menos de0,27% do total. Mais do que isso, esse tipo de diferencial no Brasil é coisa degente grande. Dos mais de 16 milhões de CNPJs do país, só 2.264 têm patentes(0,01% do total), sendo que, em média, essas empresas têm 1.326 funcionários,quase 100 vezes mais que a média geral.


6. Homens ainda são amaioria
Seis em cada dez dos empreendedores brasileiros são homens.Nas Scale-ups, essa relação é ainda maior: quase 70% dos líderes das empresasque mais crescem são homens. Isso não significa que mulheres não tenhamcapacidade de criar empresas de alto impacto, prova disso é que existemmilhares delas!

7. Não é necessáriocriar um aplicativo para crescer
As Scale-ups estão distribuídas em todos os setores daeconomia. A indústria digital, ao contrário do que muitos acreditam, concentraapenas 1% de todas as Scale-ups do Brasil. Quem lidera a lista é o varejo (20%do total), seguido pela construção civil (13%). Apesar disso, quando olhamospara a densidade de Scale-ups por segmento, a indústria digital sobe para 3ºlugar (com 18% de Scale-ups dentro do setor), logo atrás de serviçosadministrativos (19%) e construção civil (22%), setor com a maior proporção.

8. Ter com quemcompartilhar o sonho ajuda a crescer
Um dos maiores desafios dos empreendedores é a falta dealguém para dividir as dores e vitórias do dia a dia. Sócios se ajudamjustamente nisso. E assim levam o negócio mais longe. Prova disso é que o númerode sócios de uma empresa no Brasil é, em média, 1,18 e, quando olhamos paraScale-ups, esse número sobe para 2,32 sócios por companhia – praticamente odobro.

Além de todas essas características, Scale-ups são, acima detudo, empresas em que os empreendedores botam a barriga no balcão, trabalhandotodos os dias para alcançar um sonho grande. Com as suas empresas, eles queremfazer a diferença em um mercado, em uma cidade, para o Brasil. E estão fazendo!Leia aqui o estudo completo

Veja mais notícias sobre Empreendedorismo.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 29 Setembro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection