Gartner prevê que gastos mundiais de TI crescerão 5,1% neste ano

Investimento em consultoria deve avançar 10%
A computação em nuvem será responsável por quase todo o crescimento de gastos de 11% no segmento de software corporativo em 2022

De acordo com a mais recente pesquisa do Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, os gastos mundiais com TI devem totalizar US$ 4,5 trilhões em 2022, um aumento de 5,1% em relação ao ano passado. Apesar dos potenciais impactos do coronavírus com a variante Ômicron, as altas expectativas em torno da recuperação econômica e a expansão no mercado digital continuarão a impulsionar os investimentos em tecnologia.

"2022 é o ano em que o futuro retorna para o CIO", crê John-David Lovelock, vice-presidente de pesquisa do Gartner. "Os diretores de TI agora estão em uma condição de ir além dos projetos críticos de curto prazo, como os que gerenciaram nos últimos dois anos, para se concentrarem em ações no longo prazo. Simultaneamente, as lacunas de habilidades da equipe, a inflação salarial e a guerra por talentos levarão os líderes da área de TI a confiarem mais em consultorias e empresas de serviços gerenciados para buscar suas estratégias digitais", antevê.

O Gartner prevê que o segmento de serviços de TI – que inclui consultoria e serviços gerenciados – deverá ter o segundo maior crescimento de gastos em 2022, chegando a US$ 1,3 trilhão, o que representa um aumento de 7,9% em relação a 2021. Os gastos com consultoria de negócios e tecnologia, especificamente, devem crescer 10% em 2022. Até 2025, as organizações aumentarão sua dependência de consultores externos, à medida que a maior urgência e o ritmo acelerado das mudanças ampliam a lacuna entre as ambições de negócios digitais das organizações e seus recursos e capacidades internos, avaliam os analistas.

"Isso será particularmente visível com a Nuvem, pois ela serve como um elemento-chave para alcançar as ambições digitais e apoiar o trabalho híbrido", observa Lovelock. Em 2020, pela primeira vez o mercado de software de aplicações corporativas em Nuvem foi maior do que o mercado sem Nuvem, devido em parte à pandemia de coronavírus. Até 2025, o Gartner espera que seja o dobro do tamanho do mercado fora do universo Cloud.

A computação em nuvem será responsável por quase todo o crescimento de gastos de 11% no segmento de software corporativo em 2022, com as organizações se concentrando em atualizar sua estrutura de aplicações para o modelo de software como serviço (SaaS), em busca de mais suporte à flexibilidade e agilidade contínuas.

Quer saber mais sobre tecnologia?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja mais notícias sobre TecnologiaGestão.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 28 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/