Navegação interior é aposta de indústrias no Sul

Mercado vê a alternativa como ambientalmente mais limpa
Braskem reduziu em 83% a emissão de gases do efeito estufa com solução logística multimodal da Wilson Sons em Rio Grande

Mais sustentável e seguro, o modal fluvial ganha cada vez mais a atenção das grandes indústrias no Sul. No primeiro semestre deste ano, a Braskem, maior empresa petroquímica das Américas, reduziu em 83% a emissão de gases do efeito estufa com transporte de contêineres via Tecon Santa Clara, terminal hidroviário da Wilson Sons, conforme estimativa feita pelo Tecon.

"O cálculo das emissões utiliza a metodologia do Programa Brasileiro GHG Protocol e leva em consideração a quantidade de combustível utilizado por caminhões e pelas barcaças para o transporte do mesmo volume de carga, no percurso Triunfo – Rio Grande", explica Cleiton Lages, Gerente de SMS do terminal.

Entre janeiro e junho de 2021, 49% de todos os contêineres carregados com produtos da Braskem foram movimentados pelo Tecon Santa Clara e transportados por barcaças até o Tecon Rio Grande. Lá, foram embarcados em navios de longo curso para exportação e de cabotagem.

Em 2016, a parceria entre Tecon Rio Grande e Braskem reativou o Píer IV do Terminal Santa Clara e marcou a retomada do transporte de carga pelo Rio Jacuí. A iniciativa segue sendo vista pelo mercado como uma alternativa ambientalmente mais limpa e importante para redução de custos logísticos e operacionais.

"A parceria com o Tecon Rio Grande, por meio do Tecon Santa Clara, é mais uma iniciativa para atingir o compromisso da Braskem de se tornar uma empresa carbono neutro até 2050.A redução de emissão de gases alcançada com o uso do modal hidroviário demonstra que é possível adotar medidas que geram mudanças positivas que impactam as pessoas, a sociedade e o meio ambiente", afirma Daniel Fleischer, gerente de Relações Institucionais da Braskem no Rio Grande do Sul.

Hoje a operação da Wilson Sons entre o Tecon Santa Clara e o Tecon Rio Grande é a que mais movimenta cargas em contêineres por via fluvial no Brasil, de acordo com ranking do Anuário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). No primeiro semestre deste ano, 7% dos TEU movimentados no Tecon Rio Grande são provenientes da navegação interior.

Com duas barcaças, o Tecon Santa Clara mantém quatro escalas semanais em Rio Grande. Os produtos – de importação, exportação e cabotagem – têm como origem ou destino as cidades de Farroupilha, Carlos Barbosa, Garibaldi, Caxias do Sul, Veranópolis, Cruz Alta, Lajeado, Taquari, Serafina Corrêa. Além de resinas, as principais cargas transportadas são madeira, borracha e frango congelado. Entre os serviços disponibilizados pelo terminal, está a possibilidade de estufar e desovar produtos nos contêineres.

"O Tecon Santa Clara é um projeto que vem se mostrando uma excelente alternativa, visto que o mercado identifica na navegação interior uma boa oportunidade para movimentar suas cargas de forma sustentável e com maior eficiência", avalia Paulo Bertinetti, diretor presidente do Tecon Rio Grande.

Quer saber mais sobre sustentabilidade?
Receba diariamente a newsletter do Grupo AMANHÃ. Faça seu cadastro aqui e, ainda, acesse o acervo de publicações do Grupo AMANHÃ.

Veja também:

 

Comentários: 1

Eduardo em Quarta, 08 Setembro 2021 16:12

Boa tarde. Alguma notícia a respeito do Porto de Arroio do Sal?

Boa tarde. Alguma notícia a respeito do Porto de Arroio do Sal?
Visitante
Quinta, 21 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/