Sidebar Menu

Refinarias da Petrobras no Sul serão disputadas por Cosan e Ultra

Repar é o ativo mais valioso para empresas
Com localização geográfica mais estratégica, a Repar está próxima a São Paulo, maior mercado consumidor de combustíveis do país, e do Porto de Paranaguá

Os grupos Raízen (da Cosan) e Ultra, dono dos postos Ipiranga, estão em uma disputa acirrada pelas refinarias colocadas à venda no Sul do país pela Petrobras. A informação foi veiculada pelo jornal Valor Econômico nesta quinta-feira (19). A estatal deverá receber as propostas vinculantes pelas as unidades Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, no dia 10 de dezembro. A Repar é considerada a joia da coroa pelas duas rivais, de acordo com o Valor.

"Com localização geográfica mais estratégica, a Repar está próxima a São Paulo, maior mercado consumidor de combustíveis do país, e do Porto de Paranaguá (PR), o que torna a unidade mais concorrida pelas rivais. Embora seja menos competitiva que a refinaria do Paraná, a Refap está baseada em um mercado importante para as duas donas de distribuidoras de combustíveis", detalha a reportagem assinada pela jornalista Mônica Scaramuzzo.

O Valor lembra que a chinesa Sinopec e a indiana Essar também avaliam fazer ofertas pelas duas unidades. "O valor da proposta pela Refap e Repar pode ficar em cerca de US$ 2 bilhões e US$ 3 bilhões, respectivamente. A Raízen tem feito esforços nos últimos meses para ficar com a Repar, assim como o Ultra. Mas, de acordo com pessoas a par do assunto, o Ultra também deve apresentar proposta pela Refap", informa o jornal.

"Para tornar o processo de venda das duas refinarias do Sul mais disputado, a estatal decidiu concentrar o recebimento de propostas pelas duas unidades no mesmo dia, de acordo com uma pessoa próxima à petrolífera. A Petrobras escolherá a melhor oferta para cada unidade e dará início às discussões de contratos, antes de concluir o processo de venda. Pelas regras de alienação, um mesmo grupo econômico não pode ficar com duas unidades de refino na mesma região para não criar micromonopólio. A aposta é de que cada rival fique com uma refinaria no Sul", explica a reportagem.

A Repar destina 85% dos seus produtos para o abastecimento do Paraná, Santa Catarina, sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul. O excedente da produção total é destinado para outras regiões do país ou exportado. A Refap atende o Rio Grande do Sul, parte de Santa Catarina e Paraná, além de atender a outros estados por cabotagem e destinar o excedente para exportação.

Veja mais notícias sobre Negócios do SulParanáRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 24 Novembro 2020

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection