Distrito industrial de Rio Grande será ampliado

Projeto pretende gerar mais de 11,7 mil postos de trabalho
A Portos RS tem registrado recordes nos últimos meses

O distrito industrial de Rio Grande contará com investimentos privados de R$ 9,4 bilhões que gerarão mais de 11,7 mil postos de trabalho. No local estão instaladas as principais companhias do complexo portuário que contribuem para os números expressivos registrados mês a mês pelo porto do Rio Grande. O projeto foi articulado em conjunto pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Portos RS. O distrito industrial de Rio Grande é o maior do estado, com 2.580 hectares de área total.

O Grupo Cobra fará o maior aporte: R$ 5,8 bilhões. A empresa prevê a construção de uma estação onshore de recebimento, armazenagem e regaseificação de gás natural liquefeito (GNL). A obra viabilizará o suprimento de GNL no estado, tendo como consumidor âncora a Usina Termoelétrica Rio Grande. Seis outras empresas também anunciaram novos investimentos: a cooperativa paranaense C. Vale (R$ 260 milhões); Vanzin (R$ 180 milhões); Josapar (R$ 150 milhões); Rio Grande Fertilizantes (R$ 55 milhões); Fertilizantes Piratini (R$ 35 milhões); e Mita (R$ 28 milhões) em um total de R$ 708 milhões.

Com a conclusão das obras da nova planta, a unidade da Yara Fertilizantes em Rio Grande se tornou a maior e mais moderna da América Latina no que diz respeito aos processos, de produção, mistura e expedição. O investimento total foi de R$ 2 bilhões. Assim como a Yara, o projeto já conta com algumas obras em andamento, a exemplo da Termasa (R$ 676 milhões); Estaleiros do Brasil (R$ 500 milhões); Bianchini (R$ 130 milhões); Unifertil (R$ 120 milhões); AGM – Serra Morena (R$ 80 milhões); Terminal Logístico do Arroz (R$ 50 milhões); Tanac (R$ 38 milhões); Granel Química (R$ 35 milhões); e Tecon, do grupo Wilson Sons (R$ 32 milhões).

O Rio Grande – Porto Indústria faz parte do programa transversal Avançar, dentro do eixo Avançar pelo Crescimento. A Portos RS estima que o impacto do projeto compreenda 434 lotes, 338 hectares com sistema viário implantado, 700 quilômetros de vias navegáveis ligando o porto do Rio Grande ao interior, um terminal público, quatro terminais de uso privado e 31 berços para atracação. "Esse é um momento bastante importante para os portos do Rio Grande do Sul. Estamos comprometidos em promover ainda mais desenvolvimento para o distrito industrial de Rio Grande e, consequentemente, para a economia gaúcha", destacou o titular da Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul (Portos RS), Fernando Estima.

A Portos RS tem registrado recordes nos últimos meses. O mais recente é o melhor resultado da história para um primeiro semestre, com uma movimentação de 20,8 milhões de toneladas. A liderança das exportações continua com as remessas de soja em grão, mas as cargas de madeira foram as que apresentaram maior incremento percentual no período em relação ao ano passado, um aumento de mais de 315%.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 25 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/