Fed eleva juros pela primeira vez desde 2018

A invasão da Ucrânia pela Rússia está causando enormes dificuldades econômicas
Para o Fed, a inflação permanece elevada, refletindo desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia

O Federal Reserve (o Banco Central dos Estados Unidos) decidiu aumentar a taxa de juros para o intervalo entre 0,25% e 0,50% ao ano. Desde 2018 que o Fed não elevava os juros. Além disso, o Comitê espera começar a reduzir suas participações em títulos do Tesouro e dívida de agências e títulos lastreados em hipotecas de agências na próxima reunião em 3 de maio.

No comunicado enviado após a reunião, os membros do Fed afirmaram que os indicadores de atividade econômica e emprego continuaram a se fortalecer. "Os ganhos de emprego foram fortes nos últimos meses, e a taxa de desemprego diminuiu substancialmente. A inflação permanece elevada, refletindo desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia, preços mais altos de energia e pressões mais amplas sobre os preços", diz o documento.

"A invasão da Ucrânia pela Rússia está causando enormes dificuldades humanas e econômicas. As implicações para a economia dos Estados Unidos são altamente incertas, mas no curto prazo a invasão e os eventos relacionados provavelmente criarão uma pressão ascendente adicional sobre a inflação e pesarão na atividade econômica", projeta o Fed. O texto diz ainda que o Fed buscará alcançar o máximo de emprego e inflação no patamar de 2% no longo prazo.

A ata comunica ainda que as futuras avaliações levarão em conta uma ampla gama de informações, incluindo leituras sobre saúde pública, condições do mercado de trabalho, pressões inflacionárias, desenvolvimentos financeiros e internacionais.

Veja mais notícias sobre MundoEconomia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/