RS assina memorando com Ocean Winds para potencializar energia eólica em alto-mar

Projetos podem representar investimentos de R$ 100 bilhões
Da esquerda para a direita: Lemos, da Casa Civil; José Partida Solano, da Ocean Winds; e Ranolfo

O governador Ranolfo Vieira Júnior assinou, na manhã desta sexta-feira (17), em evento realizado no Palácio Piratini, um memorando de entendimento com a empresa espanhola Ocean Winds para potencializar a geração de energia renovável no Rio Grande do Sul. O objetivo da parceria com a companhia, sediada em Madri e com subsidiária no Brasil, é permitir a construção de projetos de produção de energia eólica offshore, que é uma fonte renovável e não poluente obtida pelo aproveitamento da força do vento que sopra em alto-mar.

"O Rio Grande do Sul tem um grande potencial para a geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, com destaque para a tecnologia eólica. Essa assinatura representa isso e é um primeiro passo. Se forem concretizados os dois projetos para nossa costa, teremos investimentos na ordem dos R$ 100 bilhões, com uma geração de emprego de 10 mil vagas durante a construção e 4 mil na operação", afirmou o governador.

O Rio Grande do Sul tem capacidade para gerar 100 gigawatts de energia com ventos em terra. Em alto-mar, beneficiado pela inexistência de barreiras para os cataventos girarem, são mais de 114 gigawatts. "Se somarmos essas duas capacidades, produzimos, hoje, apenas 5% do total da energia proporcionada pelos ventos. Isso significa que temos uma área com muita possibilidade de crescimento. Além disso, o porto do Rio Grande também pode ser um grande potencializador", explicou o chefe da Casa Civil, Artur Lemos.

O diretor de desenvolvimento de novos negócios da Ocean Winds, José Partida Solano, apresentou os projetos e comentou a expectativa para a execução. "Nossa expectativa é começar a operação até 2030. Neste momento, estamos em fase de licenciamento junto ao Ibama. É um prazer assinar esta cooperação com o governo gaúcho. Temos presença em todo o Brasil e acreditamos no potencial daqui. Será uma nova indústria para a região Sul", afirmou.

A Ocean Winds, uma joint venture das empresas multinacionais Engie (francesa) e EDPR (portuguesa), tem cinco projetos no país, sendo dois deles no Rio Grande do Sul. Um deles está localizado no Litoral Norte (nomeado Marinha de Tramandaí, com potencial de 700 megawatts) e o outro, em uma extensa faixa do Litoral Sul, de Tramandaí até Mostardas (chamado de Ventos do Sul, com potencial de 6,5 gigawatts).

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/