Confiança de industriais paranaenses aumenta 12% em 2024

Sondagem industrial da Federação das Indústrias do Estado do Paraná aponta que 54% dos entrevistados acreditam em crescimento da indústria ou da economia
Seja em relação ao crescimento ou à retração, as duas questões que mais chamam atenção dos industriais paranaenses são a política nacional e economia nacional

Confiança nos investimentos, visão de expansão dos negócios, confiança no potencial do empresário e foco na inovação. Assim os industriais paranaenses visualizam o ano de 2024, segundo a Sondagem Industrial da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), divulgada hoje (20). A pesquisa, um balanço de como os empresários se sentem no cenário industrial, mostra que 54% dos empresários estão otimistas ou acreditam que terão forte crescimento em 2024 - um aumento de 12% no otimismo em relação a 2023. Já em relação à expectativa de desempenho dos negócios, 88% dos industriais paranaenses são otimistas ou têm uma visão neutra, com aspectos como vendas, novos mercados, produtividade e competitividade sendo os principais para essa visão. Já os pontos em que o empresário demonstra menos otimismo são o custo de produção, a mão de obra, a infraestrutura e a logística.

Em relação à perspectiva de novos investimentos, 87% pretendem investir ao longo do ano. Destes, 63% dizem que vão investir mais ou da mesma forma do ano anterior. Os principais focos dos novos investimentos, segundo a pesquisa, se referem à melhoria de processos, produtos e serviços, ligada à inovação, à redução do custo de produção e produtividade, à prospecção de mercados e à ampliação da capacidade produtiva. Mas mesmo as porcentagens positivas chamam a atenção para uma questão que deve ser melhorada no país, segundo Marcelo Percicotti, gerente de Desenvolvimento Industrial e Social da Fiep. "Essa perspectiva de novos investimentos é 7% acima do ano passado, e 61% apontam que vão realizar esses investimentos com recursos próprios, o que ressalta uma questão sobre a nossa taxa de juros, que vem sempre sendo colocada como muito alta. A disponibilidade de crédito e os mecanismos de acesso devem ser pensados e modernizados", avalia.

Cautela em relação ao cenário político e econômico
Seja em relação ao crescimento ou à retração, as duas questões que mais chamam atenção dos industriais paranaenses são a política nacional e economia nacional. 97% dos empresários avaliaram a conjuntura econômica como algo de alto ou médio impacto e citaram como pontos de atenção a conjuntura econômica nacional, inflação, taxa de juros e câmbio e a agenda de reformas. Também foram citadas como pontos de preocupação a corrupção e o ambiente de negócios burocrático e com taxas elevadas do país.

"Temos que oferecer condições para que [o empresário] consiga evoluir em sua produção. Dentro do que o preocupa na perspectiva e que não depende dele temos aspectos como corrupção e reformas administrativas, mas a segurança energética também é um item de extrema relevância. Percebemos, inclusive, que a capacidade energética interfere diretamente não necessariamente na capacidade da geração de energia, mas na transmissão e distribuição. Essa falta compromete o desenvolvimento industrial, e uma indústria semi-automatizada tem dificuldade de rodar", complementa Edson Vasconcelos, presidente da Fiep.

Veja mais notícias sobre IndústriaEconomiaParaná.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 22 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/