ABB Woods e PCN devem ampliar investimentos em Santa Catarina

Aportes somarão mais de R$ 800 milhões
Expansões devem gerar mais de 1300 postos de trabalho

O governador Jorginho Mello assinou dois protocolos de intenção de empresas interessadas em aumentar os investimentos em Santa Catarina. A ABB Woods pretende ampliar o parque industrial na cidade de Santa Cecília. Já a PCN – Papel e Celulose pretende expandir as instalações em Lebon Régis. A ABB Woods, que faz parte do grupo Archimbaud, é especialista na transformação de cavacos, serragem e cascas em pellets de madeira. A empresa é uma das mais avançadas tecnologicamente, além de ser a maior serraria com foco em paletes serrados do país. O grupo quer investir R$ 250 milhões para aumentar o parque industrial da cidade de Santa Cecília no prazo de 24 meses. A previsão é de que sejam gerados 350 empregos diretos e 300 empregos indiretos e um incremento de arrecadação de ICMS de R$ 7 milhões em dois anos.

Recentemente a empresa firmou contrato para venda dos produtos para outra companhia da França e estar em Santa Catarina foi fundamental para o negócio ser viabilizado. "Se não tivesse o apoio do governo do estado para essa expansão não conseguiria fazer o contrato com a empresa francesa que vai comprar os paletes", comentou o sócio-proprietário Karam Bakhshi. "Vamos financiar uma parte de uma linha de transmissão da Celesc com recursos do Estado de Santa Catarina e a Celesc vai fazer a obra. Assim, como também uma parceria com a prefeitura na ordem de R$ 5 milhões onde a prefeitura vai fazer uma obra de infraestrutura viária", detalhou o secretário de Estado da Fazenda, Cleverson Siewert, lembrando que também haverá incentivos ficais como Prodec e Pro Emprego.

A PCN – Papel e Celulose é uma indústria catarinense especializada em caixas de papelão ondulado. A companhia abastece a indústria de alimentos e bebidas e o comércio em geral. O grupo quer ampliar o parque industrial no município de Lebon Régis e, para isso, pretende investir R$ 585 milhões ao longo de três anos. A estimativa é de que geração de 700 empregos diretos e 1 mil indiretos. Com isso é esperado um aumento na arrecadação do ICMS de aproximadamente R$ 40 milhões ao final de um ano de operação. "Já temos o mercado, vamos exportar uma quantidade desse papel, estamos fazendo uma parceria com uma empresa chinesa pra aumentar a tecnologia da reciclagem. Nós precisávamos dessa subestação para não deixarmos de operar em Santa Catarina", afirmou o diretor-presidente da companhia Deoclides Comachio.

A empresa pede apoio do governo do estado por meio da Celesc para a construção e implantação de uma linha de distribuição, além de melhorias na subestação de Lebon Régis. "Vamos subsidiar uma linha de transmissão em parceira com a Celesc – dinheiro do governo, execução da Celesc – na ordem de R$ 40 milhões. Tenho certeza de que são investimentos super representativos, que vão trazer movimentação econômica, geração de emprego e renda e prosperidade para toda região", concluiu Siewert.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 25 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/