Sidebar Menu

Yara investe no solo fértil do agronegócio em expansão

A julgar pelo bom momento do mercado de fertilizantes, empresa seguirá em alta
Para este ano, a Yara concluirá o Complexo de Rio Grande, investimento que transformará a unidade no maior e mais moderno parque de produção e de mistura de fertilizantes na América Latina

O boom agrícola brasileiro em pleno ano de pandemia produziu alguns fenômenos. O volume de aquisição de fertilizantes, por exemplo, chegou a ser maior em 2020 do que em 2019. Ótima notícia para a Yara, a maior do setor de Química no ranking 500 MAIORES DO SUL. Mas não é apenas ao cenário favorável que se deve o sucesso da companhia sediada em Porto Alegre.

Nos últimos 10 anos, a Yara investiu um montante de R$ 15 bilhões no Brasil. Em 2019, os aportes tiveram como foco o Complexo Mineroindustrial de Serra do Salitre (MG), o Complexo de Rio Grande (RS) e a modernização de algumas unidades, como a de Porto Alegre (RS), onde fica o Centro de Operações de Excelência da companhia de capital norueguês.

Para este ano, a Yara concluirá o Complexo de Rio Grande, investimento total de R$ 2 bilhões que transformará a unidade no maior e mais moderno parque de produção e de mistura de fertilizantes na América Latina. A ampliação da capacidade tem o objetivo de atender o mercado nos próximos 25 anos, contemplando a região Sul e parte do Paraguai. Já o Complexo Mineroindustrial de Serra do Salitre mira toda a cadeia do fertilizante e tem como foco a produção nacional para reduzir a dependência de insumos importados. A previsão é que cerca de 950 mil toneladas de fertilizantes fosfatados deixarão de ser importados a partir da entrada em operação.

"Enxergamos um cenário positivo para 2021, com câmbio favorável e exportações em alta", projeta João Benetti, diretor comercial da Yara Brasil. "Com a vacinação, espera-se uma curva ascendente da economia, possibilitando o crescimento das culturas de flores e hortifrutigranjeiros, que são diretamente ligados ao consumidor final e ao público urbano, e representam uma das áreas mais impactadas pelas restrições", detalha Benetti. A Yara, acredita ele, está semeando em solo fértil. 

A Yara é a décima maior empresa da região e também a terceira maior do Rio Grande do Sul, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado por AMANHÃ com o apoio técnico da PwC. Leia o anuário completo clicando aqui, mediante pequeno cadastro.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 18 Abril 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection