Weg vê receita avançar 9,2% no ano

O lucro líquido subiu 32,2% entre janeiro e setembro
De acordo com a Weg, a manutenção da eficiência operacional das unidades industriais no Brasil e exterior, a boa demanda por produtos de ciclo longo e o mix de produtos vendidos continuaram contribuindo para o bom desempenho

A companhia catarinense Weg viu as vendas avançarem 9,2%, para R$ 23,9 bilhões, entre janeiro e setembro deste ano. O lucro líquido subiu 32,2% no mesmo período (veja os principais indicadores na tabela ao final desta reportagem). De acordo com a Weg, a manutenção da eficiência operacional das unidades industriais no Brasil e exterior, a boa demanda por produtos de ciclo longo e o mix de produtos vendidos continuaram contribuindo para o bom desempenho.

"No Brasil, as receitas oriundas das vendas de equipamentos de ciclo longo continuaram a apresentar bom desempenho, em especial na área de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia (GTD), com destaque para os projetos de Transmissão & Distribuição (T&D) e geração eólica. Continuamos também com uma demanda saudável por equipamentos de ciclo curto na área de automação e estabilidade no negócio de motores elétricos de baixa tensão. As receitas de geração solar distribuída tiveram redução importante quando comparada com o mesmo período no ano passado", detalha a empresa de Jaraguá do Sul. "No mercado externo apresentamos crescimento das vendas em GTD, fruto da carteira robusta de pedidos construída nos últimos trimestres, com destaque para o negócio de T&D. Nas demais áreas de negócio tivemos manutenção da demanda dos nossos produtos e serviços, com crescimento das receitas em moedas locais em relação ao mesmo período do ano anterior nos principais mercados de atuação", explica a Weg.

"Mesmo em um ambiente de acomodação na demanda por equipamentos industriais, conseguimos crescer em segmentos importantes como óleo, gás, água e saneamento. O menor crescimento das receitas consolidadas em relação aos últimos trimestres foi concentrado sobretudo no Brasil, devido à redução na demanda por alguns negócios de ciclo curto, notadamente a geração solar distribuída, e a valorização do Real frente ao dólar, que impactou negativamente a conversão das receitas do mercado externo", conclui a empresa. A Weg é a quarta maior empresa da região e também a terceira maior de Santa Catarina, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado pelo Grupo AMANHÃ com o apoio técnico da PwC Brasil. Acesse o ranking completo clicando aqui.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulSanta Catarina.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 23 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/