Mesmo em um ano marcado pela pandemia, Todeschini mantém investimentos

Aporte de R$ 120 milhões será feito pela companhia gaúcha 
Companhia ainda avalia novos investimentos em tecnologia industrial para 2021 e 2022

Foi a partir de um incêndio, em 1971, que destruiu as instalações, em Bento Gonçalves, da Todeschini – na época chamada de Acordeões Todeschini, que o empresário José Eugênio Farina teve a assertiva ideia de direcionar as atividades para o mercado moveleiro. Nos últimos anos, já atuando como presidente consultivo do Grupo Todeschini, Seu Farina ou "Geninho" como era conhecido, faleceu em maio de 2020 aos 95 anos, deixando mais de oito décadas de legado e aprendizado.

Os ensinamentos daquela virada de 1971 voltam à pauta no momento em que o Grupo Todeschini, a maior empresa do setor segundo o ranking 500 MAIORES DO SUL, é desafiado novamente. Com a paralisação temporária das atividades a partir da quarentena, e o fechamento de suas lojas durante três semanas no primeiro semestre de 2020, a moveleira previu uma grande queda de vendas – de até 30% no ano. Mas decidiu manter sem redução ou modificações o seu programa de investimentos de R$ 120 milhões focado em tecnologia e equipamentos. "Nossa receita em 2020 cresceu praticamente 5% em relação ao ano anterior, quando a previsão inicial era avançar 9,5%", recorda Paulo Farina, presidente do Grupo.

Mesmo em tempos difíceis, a Todeschini seguiu com o projeto da Todesmade, uma nova unidade de beneficiamento de madeira e a fábrica de pellets em Cachoeira do Sul. O complexo deve gerar 90 empregos diretos, além de ser um modelo de sustentabilidade. "O objetivo é produzir 8 mil metros cúbicos por mês de madeira e 2,6 mil toneladas de pellets, com 70% da produção focada na exportação", ressalta o diretor industrial Jorge Pallastrelli. "Para os próximos anos vamos continuar nosso projeto de investimentos e ampliação da fábrica, além de um novo centro de distribuição em Bento Gonçalves com valores estimados em R$ 60 milhões. Estamos avaliando ainda novos investimentos em tecnologia industrial para 2021 e 2022", confidencia Farina, dando mais uma prova que desafios realmente impulsionam.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 18 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/