John Deere anuncia novos investimentos no Sul

Aquisições recentes incluem terreno adquirido no Rio Grande do Sul
No Distrito Industrial de Montenegro (RS), a John Deere adquiriu dois terrenos próximos à fábrica

A John Deere anunciou a aquisição do condomínio que abriga o escritório regional da empresa, em Indaiatuba (SP), e do Centro de Distribuição de Peças para a América do Sul (SA-PDC), em Campinas (SP), juntamente com um terreno próximo, que será utilizado para uma futura expansão. Recentemente, a companhia também adquiriu dois terrenos no Distrito Industrial de Montenegro (RS). "Esse anúncio representa mais um marco importante na trajetória da companhia em território nacional e reforça que este é um mercado de extrema importância para a John Deere", explica Antonio Carrere, vice-presidente de marketing e vendas da John Deere para a América Latina, por meio de nota.

No Distrito Industrial de Montenegro (RS), a John Deere adquiriu dois terrenos próximos à fábrica. A compra foi conduzida pelo Programa de Implantação de Distritos Industriais (PROEDI/RS), com investimento inicial de R$ 3,2 milhões para preparação do terreno, fazendo parte de um montante total de R$ 230 milhões que serão investidos até 2026 em novas linhas de produção para localização de componentes, ampliação de área de armazenagem, depósito e restaurante, bem como ampliação de áreas internas. Já o escritório regional da empresa foi transferido de Porto Alegre (RS) para Indaiatuba (SP), em 2012, considerando a localização geográfica estratégica e a infraestrutura logística de estradas e aeroportos. Hoje, o escritório fica localizado em um condomínio, que agora foi adquirido pela empresa. A expansão permitirá maior integração dos profissionais da John Deere ligados aos diferentes negócios da companhia.

Inaugurado em 2008, o Centro de Distribuição de Peças para a América do Sul (SA-PDC) funcionava em um espaço alugado. Além da operação do centro de distribuição, o complexo conta com um prédio onde funcionam o Centro de Treinamentos (CT) e o Centro de Agricultura de Precisão e Inovação (CAPI), que em breve será realocado para o Centro Brasileiro de Desenvolvimento de Tecnologia, anunciado em novembro de 2023 pela companhia. "A aquisição proporcionará a possibilidade de expansão para atender à crescente demanda por capacidade de armazenamento no país", comenta Carrere.

Recentemente, a companhia divulgou também a construção do Centro Brasileiro de Desenvolvimento de Tecnologia, em Indaiatuba (SP), com previsão de inauguração no final de 2024. Esse será o primeiro centro de desenvolvimento e testes para a agricultura tropical do mundo, e a empresa está investindo cerca de R$ 180 milhões no projeto. A unidade permitirá que os produtos sejam concebidos e testados em território brasileiro, considerando todas as variáveis: solo, clima, níveis de conectividade etc. Além disso, a expectativa da John Deere é reduzir em até 40% o tempo de desenvolvimento de novas soluções, dependendo do tipo de projeto, garantindo que os clientes locais tenham acesso aos produtos e soluções mais rapidamente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 24 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/