JBS inaugura berçário de pintinhos no Paraná, com investimento de R$ 135 milhões

Planta volta a funcionar 10 meses após incêndio que aconteceu no início de 2023
Apontado como o maior e mais tecnológico incubatório do país, o local tem capacidade de incubação de mais de 16 milhões de ovos férteis por mês

A JBS, uma das maiores empresas de alimentos do mundo, retomou na semana passada as operações do seu incubatório de frangos de corte localizado na cidade de Rolândia, no Paraná. Responsável por 12% dos pintos produzidos pela Seara, o "berçário" de aves recebeu investimento de R$ 135 milhões para recuperação e modernização após incêndio ocorrido na unidade em 2023. Apontado como o maior e mais tecnológico incubatório do país, o local tem capacidade de incubação de mais de 16 milhões de ovos férteis por mês, ocupando uma área de 16.314 m². Incubados em estágio único, os ovos são colocados e retirados das máquinas todos ao mesmo tempo a cada ciclo de incubação. Tecnicamente, esse processo é considerado um dos melhores, já que permite limpar e desinfetar todos os maquinários ao fim de cada procedimento, elevando o padrão de qualidade do processo. Seguindo os princípios do bem-estar animal, o incubatório possui um controle maior de ambiência, favorecendo o desenvolvimento dos embriões com maior eficiência e qualidade.

O incubatório conta ainda com uma sala de controle de climatização, sistema de alarmes e monitoramento ambiental, com câmeras por toda a unidade. Além disso, foram instalados instrumentos para o controle de incêndio. Vamiré Luiz Sens Júnior, gerente-executivo de sustentabilidade agropecuária da Seara, conta que a reconstrução foi focada em trazer uma operação totalmente modernizada. "Tudo foi projetado de modo a assegurar excelentes níveis de eficiência e otimização dos recursos naturais. Além das melhorias do processo, a incubação realizada mais próxima às granjas reduz o tempo de deslocamento de ovos e pintos, resultando em um serviço ainda melhor aos nossos parceiros integrados".

Vale destacar que, com a instalação do processo de osmose reversa, que realiza a filtragem da água por meio de equipamentos próprios para reter as partículas e poluentes físicos e microbiológicos, a unidade também economizará cerca de 200 mil litros de água por mês com o uso de água destilada nos processos de incubação. O incubatório de Rolândia atenderá municípios do norte do Paraná, mais precisamente nas cidades de Campo Mourão, Santo Inácio e Jaguapitã, mas está habilitado para atender outras unidades, se houver a necessidade. Com previsão para entrar em operação na segunda quinzena de fevereiro, o incubatório foi reconstruído em tempo recorde, com conclusão em apenas 10 meses. Durante esse período, 200 pessoas chegaram a trabalhar nas obras. Com a retomada das atividades, a unidade contará com 155 colaboradores.

Veja mais notícias sobre EmpresaParaná.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 21 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/