Sidebar Menu

Apesar de crise no turismo, Accor aposta na abertura de três unidades no Sul em 2021

Ao todo, empresa prevê 20 inaugurações no Brasil neste ano
Accor já havia adicionado 14 hotéis ao portfólio da América do Sul no ano passado

Com o setor de turismo sendo um dos mais impactados economicamente durante a pandemia, não foi surpresa para a Accor encerrar 2020 com resultados abaixo de 2019. A receita consolidada do grupo foi de € 1,6 bilhão no ano passado, uma redução de 54,8% em termos comparáveis e de 60% conforme reportado, ambos em comparação com o ano de 2019. Já na América do Sul, a receita foi de € 76 milhões, representando uma queda de 69% com relação a 2019. Mas, apesar dos resultados consolidados, a empresa vem demostrando sinais de recuperação desde o último trimestre na América do Sul, além de Ásia, Oriente Médio e África.

Para 2021, estão previstas 30 aberturas na América do Sul, incluindo unidades na Argentina, Colômbia, Uruguai, Peru e Bolívia. Para o Brasil, serão 20 inaugurações, sendo três no Rio Grande do Sul: ibis budget Farroupilha (125 quartos), ibis Ijuí (120 quartos) e ibis Styles Porto Alegre Moinhos (130 quartos), todos na categoria econômica. "Nossa estratégia é ter hotéis de luxo nas cidades maiores, operados por nós. Nas cidades secundárias e terciárias, com hotéis mais econômicos, vamos crescer nas franquias, e todo o interior do Rio Grande do Sul tem cidades muito importantes, com muita necessidade de hospedagem local. Pelotas é assim. Também marcamos presença em Gramado, por exemplo", explica Abel Castro, vice-presidente sênior de desenvolvimento e novos negócios Accor América do Sul.

Em 2020, foram 14 novos hotéis abertos na América do Sul (1.800 quartos), além da assinatura de 13 novos contratos (1.565 quartos), um ritmo semelhante ao dos anos anteriores. "É uma região muito importante para a Accor, onde somos líderes de mercado e, para a expansão do turismo, há um grande potencial de crescimento no segmento de lazer. Por esse motivo, estamos focados em dar continuidade ao nosso plano de expansão na região, que ainda conta com muito espaço para novos hotéis e excelentes opções de investimentos. Já assinamos 3 novos contratos em 2021 e esperamos outros mais", comenta Thomas Dubaere, CEO Accor América do Sul, que chegou à região em outubro do ano passado. Ainda neste ano, o objetivo é ampliar as franquias e focar nas categorias de luxo e lifestyle. "Lançamos o plano de expansão 42k24 para a América do Sul, com o objetivo de chegar a 42 mil quartos de hotéis franqueados até 2024 na região, e acreditamos muito na expansão da nossa rede com essa estratégia", conta Castro. "Na América do Sul, mais de 70% dos hotéis hoje ainda são independentes. Por isso, existe um mercado enorme, com potencial muito grande para conversões e acreditamos que 2021 será o ano das franquias no Turismo", complementa.

Foi pensando nessas possibilidades que, em 2021, a Accor anunciou a chegada do primeiro hotel 'By Mercure' na região, uma marca projetada para acolher hotéis de qualidade e médio porte à valiosa família Mercure. O Thermas de Olímpia Resorts By Mercure, no estado de São Paulo, Brasil, é o primeiro hotel do mundo a receber a designação. O ano de 2021 também já trouxe novidades como o anúncio do ibis Styles Maragogi, que deve iniciar suas atividades em 2024; o Room-Office [em que clientes podem "se hospedar" em escritórios para trabalhar], que já teve mais de 1.200 diárias vendidas; e a parceria com a marca de hotéis de luxo Faena, presente em Buenos Aires e Miami, visando à expansão da marca para destinos estratégicos em todo o mundo.

Veja mais notícias sobre EmpresaNegócios do SulRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários: 1

Miesco Gdynski em Segunda, 08 Março 2021 12:38

As cidades mais importantes são aquelas com os maiores PIBs. É nelas que convergem os investimentos e os executivos de grandes empresas. É lá que as coisas acontecem. Pelo visto a Accor não tem esses dados à mão ou se desinteressa totalmente pelos dados estatísticos fornecidos pelo IBGE.
Nada contra, mas, dizer que Pelotas tem procura por camas de hotel é uma bobagem. Seu PIB não consta nem entre as 10 cidades mais importantes.
Investi em Rio Grande, cuja praia do Cassino recebe por cada fim de semana, na alta temporada, até 500.000 pessoas, de todo o estado gaúcho. Na realidade é um lugar mágico.

As cidades mais importantes são aquelas com os maiores PIBs. É nelas que convergem os investimentos e os executivos de grandes empresas. É lá que as coisas acontecem. Pelo visto a Accor não tem esses dados à mão ou se desinteressa totalmente pelos dados estatísticos fornecidos pelo IBGE. Nada contra, mas, dizer que Pelotas tem procura por camas de hotel é uma bobagem. Seu PIB não consta nem entre as 10 cidades mais importantes. Investi em Rio Grande, cuja praia do Cassino recebe por cada fim de semana, na alta temporada, até 500.000 pessoas, de todo o estado gaúcho. Na realidade é um lugar mágico.
Visitante
Quarta, 05 Mai 2021

Imagem do Captcha


Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection