Startup oferece processo simplificado de cessão de créditos vencidos

Pandemia fomenta mercado e especialista prevê alta de 20% neste ano
Não há custo para se cadastrar como investidor e avaliar as oportunidades, bem como para cadastrar carteiras de volume menor que R$ 1 milhão

A startup curitibana Portal Cessão de Créditos desenvolveu uma plataforma para facilitar as negociações de cessão de créditos. Nesse mercado empresas vendem sua carteira de dívidas vencidas para investidores especializados em ações de cobrança e recuperação de créditos. A startup criou em seu site uma espécie de vitrine de oportunidades, em que investidores podem buscar negócios e credores oferecem seus ativos.

Desde 2002 nessa atividade, Maxiuel Cerizza diz que a plataforma tem sido bem aceita. Criado em janeiro de 2020, o Portal Cessão de Créditos reúne cerca de 200 investidores cadastrados e disponibiliza atualmente, para avaliação e aquisição, mais de 470 mil créditos vencidos com valor de face (saldo contábil) superior a R$ 1,3 bilhão.

Não há custo para se cadastrar como investidor e avaliar as oportunidades, bem como para cadastrar carteiras de volume menor que R$ 1 milhão. "A plataforma é bastante democrática, pois é possível cadastrar carteiras de créditos com saldos menores, acima de R$ 300 mil. Até o momento, os maiores players deste mercado trabalham apenas com ativos acima de R$ 30 milhões", conta Cerizza. O portal ainda presta consultoria para empresas com créditos vencidos que não sabem como funciona o processo de venda.

Projeção é de alta
A pandemia e o cenário econômico complicado em 2020 aumentaram o número de endividados no Brasil. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de dezembro, a quantidade de famílias com problemas financeiros voltou a crescer no país e chegou à marca de 66,3%.

Para Cerizza esses fatores vão impulsionar a modalidade de cessão de créditos nesse ano. "Nossa previsão é de crescimento de 20% em relação a 2020. Os próximos meses devem ser marcados pela piora na capacidade de pagamento dos devedores, principalmente devido à pandemia e ao fim do auxílio emergencial. Do outro lado, cada vez mais as pessoas e as empresas buscarão alternativas diferentes dos bancos para renegociar dívidas e equilibrar balanços."

Veja mais notícias sobre EmpreendedorismoEmpresaParaná.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 29 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/