South Summit é palco de lançamento do BRDE Labs 2022

Durante o evento de inovação, o banco apresentou seu programa de aceleração de startups que, neste ano, vai trabalhar com o tema ESG
A iniciativa tem como foco a gestão e a estruturação das empresas, de forma a alavancar recursos ou parcerias que contribuam para o seu êxito operacional

Nesta quarta-feira (4), primeiro dia de South Summit Brasil, a diretoria do BRDE, junto às incubadoras tecnológicas Hotmilk (PUC-PR) e Feevale TechPark, promoveu a apresentação do BRDE Labs 2022, momento em que foi confirmado o acordo de cooperação entre o banco e as aceleradoras. O programa de aceleração de startups do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), que já contemplou 73 iniciativas, dará início à sua terceira edição com projetos nos estados do Paraná e Rio Grande do Sul.

A iniciativa tem como foco a gestão e a estruturação das empresas, de forma a alavancar recursos ou parcerias que contribuam para o seu êxito operacional, oferecendo, de forma gratuita, capacitação e oportunidades para geração de negócios. "Temos o compromisso de desenvolver e apresentar produtos e serviços que contribuam para promover o ecossistema de inovação da região Sul. Atuamos através de financiamentos, aporte de capital via Fundos de Investimento em Participações e programas de aceleração de startups e, mais recente, como parceiro em projetos de formação profissional", explicou o diretor administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira.

A cada ano o programa desenvolve um tema central que guia a escolha das empresas e, consequentemente, das startups. Em 2022, no Paraná, o BRDE Labs apresentará desafios que se relacionam à temática ESG – Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português) e contará com 10 empresas âncoras. No final deste mês de maio serão apresentadas essas empresas e seus respectivos desafios. As inscrições já estão abertas.

Segundo Leany Lemos, diretora de operações do banco, o principal objetivo do programa é retornar riqueza aos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul. "Para que um ecossistema avance, é preciso ter mercado, crédito e governo envolvido", defende. Na ocasião, Alsones Balestrin, secretário de inovação, ciência e tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul defendeu a importância de garantir que os talentos do Sul do Brasil permaneçam por aqui. "O Sul do Brasil é muito rico. Temos ótimas universidades e talentos. Precisamos parar de exportá-los e, em vez disso, atrair novos talentos", concluiu.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/