Sidebar Menu

Enquanto Curitiba puxa inflação do vinho para o alto no Sul...

...Porto Alegre tem o menor IPCA do país no mês passado
Bebida comercializada na capital paranaense avançou 2,4% em fevereiro

O leitor atento de Cepas & Cifras deve ter estranhado o título deste post. Afinal, acompanhando a curva da inflação do vinho no ano passado, Curitiba costumava aparecer como a capital brasileira onde a bebida menos sofria reajustes (veja os principais indicadores do índice de fevereiro e o acumulado anual na tabela ao final deste post). A cidade registrou deflação por seis meses e estabilidade em um deles, de acordo com o levantamento do blog.

Porto Alegre, conhecida por ter o maior IPCA para o produto em 2020, fechou o primeiro bimestre com o menor índice (0,36%). O vinho consumido em bares e restaurantes aumentou apenas 0,2% em fevereiro (lembrando que, pela metodologia empregada, esse item é pesquisado apenas na cidade do Rio de Janeiro).

A pergunta que fica a partir de agora é se o prolongamento da pandemia e da crise econômica exercerão pressões sobre o preço de alimentos e bebidas, além de outros produtos que fazem parte da cesta básica dos brasileiros. O recente aumento da taxa de juros também poderá fazer com que o dólar pare de subir, fato que pode, talvez, aliviar futuros reajustes de vinhos, já que boa parte dos insumos são precificados na moeda norte-americana.

Veja mais notícias sobre EconomiaBrasilParanáRio Grande do Sul.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 17 Junho 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/

No Internet Connection