Brasil ainda deve enfrentar muita turbulência

Agosto definitivamente não foi um mês para ser lembrado pelosinvestidores da bolsa brasileira. O Ibovespa registrou queda de 8,3% em agosto,pior resultado do ano até agora. Em 2015, o índice acumula queda de 6,7%.Contudo, para quem pensa que o pior j...
Carreira

Agosto definitivamente não foi um mês para ser lembrado pelosinvestidores da bolsa brasileira. O Ibovespa registrou queda de 8,3% em agosto,pior resultado do ano até agora. Em 2015, o índice acumula queda de 6,7%.Contudo, para quem pensa que o pior já passou, Flávio Conde (foto), analista doblog WhatsCall, é taxativo: “o fundo do poço tem alçapão e não chegamos láainda”. 

O especialista acredita que o Brasil deve perder o grau deinvestimento em breve e que o dólar subirá mais. Desse modo, a bolsa sofreráainda mais. Também são esperados mais problemas na economia chinesa. Alémdisso, Conde destaca que a Petrobras não é um bom investimento. “Por mais quealguns investidores estrangeiros achem que a estatal custando seu preço atualseja barato, se esquecem de ver que a cada dez centavos de aumento do dólar emrelação ao real, a dívida da companhia aumenta mais”, recorda.

Em meio a todo esse cenário catastrófico, Conde sugerealocações defensivas ao investidor, de modo a se proteger de perdas e tentaralgum tipo de ganho. “Nesse cenário, empresas que já se beneficiam por teremsuas receitas em dólar, devem subir mais ainda, como a Fibria e a Suzano”,afirma. Ele ainda recomenda os papéis de empresas que sofrem menos no mercadointerno e também são exportadoras, como a Ambev, JBS e BRF. Já a Vale não é umarecomendação para ficar de fora, uma vez que ela tem receitas em dólar e aindapode surpreender.

Veja mais notícias sobre Carreira.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 21 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/