Setores industriais revelam-se confiantes em novembro

Empresários da região Sul, no entanto, demonstram falta de confiança
Ao longo de todo o ano, a maior parte dos setores vem mostrando confiança, mas ela vem oscilando

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) que traz os resultados setoriais de novembro de 2023 mostra que 21 de 29 setores da indústria estão confiantes e oito setores registram falta de confiança. A pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) ouviu 1.985 empresas, sendo 814 de pequeno porte, 710 de médio porte e 461 de grande porte, entre 1º e 13 de novembro deste ano. Os setores mais confiantes são farmoquímicos e farmacêuticos, manutenção e reparação, veículos automotores e extração de minerais não-metálicos. Dos oitos setores sem confiança, os que mais se destacam são couros e artefatos de couro, produtos minerais não-metálicos, equipamentos de informática e produtos de borracha.

O ICEI setorial revela que, na passagem de outubro para novembro, seis setores da indústria fizeram a transição de um estado de falta de confiança para um estado de confiança: serviços especializados para a construção, metalurgia, produtos de metal, calçados e suas partes, celulose e papel e obras de infraestrutura. "Ao longo de todo o ano, a maior parte dos setores vem mostrando confiança, mas ela vem oscilando, sem se consolidar em um patamar mais elevado", avalia o gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo. Em novembro, a confiança da indústria avançou nas regiões Sudeste (+0,8 ponto) e Centro-Oeste (+0,7 ponto) e recuou nas demais localidades, sendo o recuo mais pronunciado na região Nordeste (-1,6 ponto) e mais brando nas regiões Norte (-0,6 ponto) e Sul (-0,5 ponto). Mesmo com recuos e avanços, o cenário segue o mesmo há seis meses: a exceção da região Sul, empresários industriais de todas as demais regiões estão confiantes.

A confiança avançou nas pequenas e médias empresas, mas caiu nas grandes indústrias na passagem de outubro para novembro. No entanto, em novembro, o ICEI das pequenas ficou em 49,9 pontos bem próximo de cruzar os 50 pontos e o que representa um "estado neutro", onde não há confiança nem a falta dela. Dados acima desta linha representam confiança e abaixo mostram falta de confiança. O índice de confiança das médias empresas passou de 49,6 pontos para 50,4 pontos e fez a transição desse porte de indústria de volta a um estado de confiança. O indicador das grandes indústrias caiu de 53,4 pontos para 52,6 pontos, mesmo assim, grandes indústrias seguem confiantes.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 14 Junho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/