Otimismo da indústria está menos difundido

Aumento da capacidade instalada não está acompanhado da alta da produção
Uma das explicações para a alta da capacidade instalada é a desorganização das cadeias globais de valor, um dos efeitos patentes da crise econômica provocada inicialmente pela Covid e aprofundada pela guerra iniciada pela Rússia

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) manteve-se em 69% entre março e abril de 2022. Esse indicador trata do percentual ocupado do parque industrial e o resultado de abril é um ponto percentual superior à média histórica para o mês, medida desde 2011, de acordo com a Sondagem Industrial, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Foram consultadas 1.839 empresas, sendo 740 pequeno porte, 641 médio porte e 458 de grande porte. Período de coleta 2 a 10 de maio de 2022.

No entanto, o aumento da UCI não está acompanhado da alta da produção, como era de se esperar. O gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo, explica que a produtividade da indústria está muito baixa e uma das explicações para a alta da UCI é a desorganização das cadeias globais de valor, um dos efeitos patentes da crise econômica provocada inicialmente pela Covid e aprofundada pela guerra iniciada pela Rússia. "Como a produção não está acompanhando, provavelmente o aumento da UCI está relacionada com as dificuldades e às incertezas no acesso à matéria-prima, com atraso nas entregas e preços elevados", calcula Azevedo.

Além disso, o índice de estoque efetivo em relação ao usual passou de 50,3 pontos para 50,6 pontos. Ao permanecer próximo dos 50 pontos, o índice mostra que os estoques seguem relativamente ajustados. "O nível de estoques começa a se afastar do planejado e isso mostra frustração dos empresários", explica o economista. A pesquisa também mostra que o otimismo está menos difundido. "As expectativas de compra de matérias-primas e de número de empregados apresentaram relativa estabilidade, mas as expectativas de demanda e de exportação apresentaram queda", explica o economista.

Nos dados dessazonalizados, a produção industrial e o emprego industrial registraram recuo em abril de 2022 na comparação com março deste ano. De acordo com a pesquisa, o índice de evolução da produção ficou em 46,5 pontos, abaixo dos 50 pontos, linha divisória entre queda e crescimento da produção na comparação com o mês anterior. A queda na passagem de março para abril é usual e a queda de 2022 está dentro do padrão histórico, uma vez que a média histórica do índice também é de 46,5 pontos para o mês.

Veja mais notícias sobre BrasilEconomiaIndústria.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://amanha.com.br/