SC amplia exportação de carne suína para a China

País responde por 57% do faturamento com a proteína

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Santa Catarina amplia exportação de carne suína para a China

A crise enfrentada pela China na suinocultura com o avanço da peste suína africana tem feito o gigante asiático comprar mais carnes de Santa Catarina. O país já responde por 57% de todo o faturamento catarinense com as exportações de carne suína em 2019. Ao longo do ano, Santa Catarina ampliou em 26,4% a quantidade de carne suína exportada para a China e Hong Kong, totalizando 168,5 mil toneladas entre janeiro e setembro. O faturamento com os embarques já passa de US$ 342,2 milhões, 38% a mais do que no mesmo período de 2018. Os números são divulgados pelo Ministério da Economia e analisados pelo Cepa.

A tendência é de que as exportações aumentem ainda mais até 2020. "A China deve continuar aumentando suas importações de proteínas de origem animal, em função da drástica redução no rebanho suíno causada pelo surto de peste suína africana que o país atravessa. Nesse cenário, o Brasil, e em especial Santa Catarina, possui condições de atender parte dessa demanda adicional, tendo em vista a competitividade dos seus produtos e as boas condições sanitárias da produção animal", explica Alexandre Giehl, analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

Santa Catarina é o maior produtor e exportador de carne suína do Brasil. De janeiro a setembro de 2019, o estado já exportou 299,1 mil toneladas do produto, uma alta de 18% em relação ao ano anterior. O faturamento com os embarques passa de US$ 602,7 milhões, o que representa um crescimento de 29%. Os principais destinos para carne suína catarinense este ano são: China, Hong Kong, Chile, Argentina e Rússia.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: