As mais promissoras startups do Sul, selecionadas pela Amcham Brasil

Conheça os 30 negócios da região que despertaram o interesse da Câmara Americana de Comércio

Por Karine Menoncin

karine.menoncin@amanha.com.br

Logiun recebe prêmio no Amcham Arena Joinville

As startups nunca estiveram tanto em pauta, com novos modelos de negócios surgindo e mudando os padrões até então tradicionais. Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups) mostra que a quantidade de cadastradas na entidade dobrou entre 2012 e 2017, subindo de 2519 para 5147. Hoje, já são mais de 12 mil negócios seguindo esse modelo, conforme indicado pela Startupbase. No raio-x do setor, o Sul se mostra um terreno fértil para essas jovens empresas que desenvolvem produtos ou serviços inovadores e com potencial de rápido crescimento. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul é a casa de 2152 startups com DNA genuinamente sulista. Foi de olho nesse mar que a Câmara Americana de Comércio (Amcham) buscou as startups que melhor vendem os seus peixes. No seu primeiro ano de abrangência nacional do projeto Amcham Arena, 785 companhias da nova economia inscreveram seus produtos e serviços inovadores na competição. Do número total de inscritos, 658 foram selecionadas para as triagens regionais – as bancas seletivas aconteceram em 15 unidades regionais, sendo a maioria em Porto Alegre (13%), São Paulo (12%) e Belo Horizonte (11%). 

Em Curitiba, a final regional aconteceu na última terça-feira (2), com as startups Central de Materiais, Certus Software, dod, e-Campus, Monest, NetWord Agro, Pontomais, TransferHub, Troco Simples e Verifact. A startup Central de Materiais foi a ganhadora da final regional curitibana. A vencedora regional, focada em gerenciar, destinar e promover ativos e inservíveis para empresas, atua em Curitiba (PR) e região metropolitana da capital paranaense. ‘‘Acreditamos que podemos melhorar o comércio de materiais recicláveis e [fazer] a reutilização desses materiais de uma forma melhor e mais justa’’, disse o sócio-fundador da Central de Materiais, Marcio Leo Danielewicz. ‘‘[Vencer o] Amcham Arena foi maravilhoso, porque conseguimos ter minutos de atenção de pessoas importantes parando para escutar [sobre] o nosso negócio’’, afirmou.

Já em Santa Catarina, Joinville foi o palco para o duelo entre as startups Acqua Logic, Beepay, eKyte, Liquida-Ação, Logiun, PowerHub, ResultaMais, SaleSpots, Ulogus e YAK. Quem levou a melhor foi a Logiun, que desenvolveu um software de controle de estoque e serviços de logística reversa para paletes e contenedores. "A Logiun tem uma solução para logística reversa, que faz a gestão e tracking de ativos e embalagens retornáveis, otimiza e automatiza processos e promove redução de custos e aumento do nível de serviço operacional. A plataforma faz o controle de todo o fluxo circular dentro da rede de distribuição ou na cadeia de fornecimento das empresas clientes. As soluções atendem a indústria, o setor de transportes, o setor químico e o setor de autopeças. A solução tem forte apelo ambiental já que promove a maior circulação de embalagens e assim reduz o consumo de materiais e o impacto na natureza", explica Jeferson Bernardi (na foto, com o prêmio, e a banca de jurados), CEO da Logiun, que tem sede em Navegantes.

No Rio Grande do Sul, dentre as startups finalistas, encontram-se negócio que atuam nas áreas de agronegócio, IoT, saúde, visão computacional, entre outros. No dia 27 de setembro, em Porto Alegre, as startups Elysios Agricultura Inteligente, Inbeauty Brasil, O Amor é Simples, Pix Force, Quiper Fresh, Sirros IoT, ClicLaudos Teleperícias, Trashin, WhatsFlow e Zuna tiveram a oportunidade de fazer uma apresentação de cinco minutos para uma banca formada por CEO’s gaúchos e executivos. Nessa etapa, o vencedor regional foi a Elysios Agricultura Inteligente, que trabalha com soluções para rastreabilidade, comunicação e integração de pequenos e médios produtores agrícolas. "Oferecemos soluções de software e hardware para o agricultor realizar a melhor decisão possível com informações precisas. Nossa solução distribui no ambiente do cultivo tecnologias de sensoriamento para as principais variáveis responsáveis pela qualidade do cultivo, como temperatura, luminosidade, umidade, irrigação e nutrientes. Além disso, permite ganho de produtividade e um uso otimizado de insumos, chegando a uma economia de água de até 80% e com metade da mão de obra", destaca Frederico Apollo Brito, um dos fundadores da Elysios.

As vencedoras das regionais participarão, em São Paulo, no dia 17 de outubro, da final nacional.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: