Morar e trabalhar fora do país pode ser um inferno

A decisão requer grandes mudanças e, ainda, pode ser decepcionante

Por Bernt Entschev

É comum que profissionais que atuam em multinacionais passem por uma difícil decisão na carreira – a de aceitar ou não um convite para trabalhar no exterior. Para muitos, essa seria a oportunidade dos sonhos, mas ela requer uma análise profunda dos prós e contras. É preciso avaliar como essa fase profissional no exterior irá agregar à carreira, à vivência e às finanças. 

A decisão de aceitar um eventual convite é difícil, pois essas oportunidades geralmente envolvem inúmeras variáveis. Quem se submete a uma vaga no exterior também tem de enfrentar a tarefa de lidar com uma nova cultura, uma nova língua e uma nova alimentação. Mas a balança pesa mesmo é para o lado emocional. Nós, brasileiros, somos muito sentimentais. Há alguns anos, recebi um convite para trabalhar em uma multinacional. Na época, já tinha minha família constituída e achei justo consultá-los antes de dar a resposta final à companhia. Eu mesmo me surpreendi, com a posição da minha família, pois nenhum deles, naquele momento, queria mudar de país – e nem que eu fosse sozinho. Portanto, refutei a oportunidade. 

Cito esse exemplo para destacar que os momentos da vida e da carreira precisam ser levados em consideração antes de uma resposta final. Não feche uma proposta somente com a passagem de ida. Essa indefinição não vai lhe deixar confortável durante sua vivência no exterior. Se a decisão for levar a família, lembre-se que, em muitos casos, a rotina dos profissionais que atuam lá fora é regada por viagens constantes. De qualquer maneira, você não estará tão próximo aos familiares. Por outro lado, muitos dos profissionais que optam pela vaga recebem até 45 dias de férias. Ao organizar esse período, evite retornar ao país e prefira outros destinos. Essa vinda de tempos em tempos só fará sua saudade aumentar e poderá prejudicar sua permanência lá fora. Se a sua opção for pelo sim, enumere todos os benefícios que você poderá colher. Ao retornar ao seu país, certamente você estará ainda mais maduro e apto para assumir inúmeros outros desafios. 



comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: