Quando a conduta pesa mais que o currículo

A maioria esmagadora dos candidatos não conquista uma oportunidade por causa do seu comportamento

Por Bernt Entschev

A maioria esmagadora dos candidatos não conquista uma oportunidade por causa do seu comportamento

Após montar um bom currículo, o profissional que busca uma nova colocação precisa se preparar para possíveis entrevistas. Muitos candidatos erram justamente nessa etapa e perdem vagas valiosas. Com a bagagem de quem já entrevistou centenas de pessoas, posso afirmar que a maioria esmagadora que não conquista uma oportunidade peca justamente em traços comportamentais. A experiência e a parte técnica são, sim, importantes, mas o recrutador já identifica esses parâmetros em seu currículo logo em uma primeira análise. A entrevista será justamente o momento para você mostrar o quanto é capaz de desempenhar todas as suas qualidades. 

Listo, a seguir, algumas dicas podem lhe ajudar a conquistar o tão desejado posto de trabalho. Fale a verdade, sem aumentar o discurso sobre sua experiência ou participação em um projeto. Mentir, então, nem pensar. O recrutador consegue identificar uma informação desonesta e deixará seu currículo de lado. Caso seja indagado sobre o motivo pelo qual se desligou do trabalho anterior, jamais fale mal do antigo chefe, de colegas ou da empresa para a qual você colaborou. Isso demonstra que você não tem maturidade emocional. Prefira respostas mais genéricas, sem entrar em detalhes ou fazer críticas. Essa atitude passa a imagem de que você é uma pessoa discreta.

Busque informações sobre a empresa em que você está pleiteando uma vaga. Se identificar que o “jeitão” da companhia não é a sua praia, nem insista. O mais recomendado é declinar da oportunidade, pois, mais cedo ou mais tarde, não haverá motivação. É claro que existem entrevistas nas quais não se revela o nome da empresa – contudo, pergunte ao menos o ramo de atividade e o setor em que ela atua antes de agendar. Por último, lembre-se que entrevistas não são interrogatórios, e, sim, diálogos. Dose respostas, mas também faça perguntas interessantes e pertinentes sobre a corporação, sobre a vaga e sobre projetos em andamento. Isso vai denotar interesse pela posição e causar uma boa impressão em quem está fazendo o recrutamento. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: