Mercado se acautela contra desidratação da reforma

Senado articula PEC para incluir Estados na nova Previdência

Da Redação, com Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Mercado se acautela contra emendas que desidratam reforma

O Ibovespa, principal índice da B3 (foto), opera com leve queda na manhã desta quinta-feira (11). Agentes econômicos se dividem entre a cautela com a votação dos destaques, que podem desidratar a economia esperada de quase R$ 1 trilhão em dez anos, e o otimismo por conta do placar da aprovação na noite de quarta-feira (10). Por volta do meio-dia, o Ibovespa apresentava retração de 0,8%, aos 104.928 pontos. O dólar comercial apresentava estabilidade, sendo vendido a R$ 3,7587 na compra e a R$ 3,7593 a venda. A apreciação dos destaques ao longo do dia dará o norte aos investidores sobre o fim da votação ou não, em dois turnos, ainda nesta semana.

O Senado pode costurar um acordo para reincluir os estados e os municípios na reforma da Previdência. O movimento tem apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele se disse favorável a que governos estaduais e prefeituras façam parte da reforma, mas admitiu não haver clima para que os deputados aprovem a reinclusão dos governos locais neste momento. Pela hipótese cogitada por Maia, o Senado aprovaria a reforma da Previdência, mas as modificações seriam fatiadas. Os pontos aprovados pelas duas Casas seriam promulgados, mas a reinclusão dos estados e dos municípios voltaria à Câmara dos Deputados para ser discutida novamente.

“O que entendo é que é muito difícil que a Câmara aprove esse tema, infelizmente. Todo mundo sabe que sou a favor. Mas de repente, pode ter uma construção da inclusão, como já ouvi do presidente do Senado [Davi Alcolumbre], no Senado Federal”, declarou Maia. “Com isso, o Senado poderia trabalhar a nossa PEC mais os estados e devolver como PEC paralela [a questão] dos estados para a gente fazer o debate em outro ambiente. Num ambiente menos tensionado. Não sei se é possível, mas vamos trabalhar para que a gente não tenha atraso na análise da reforma”, acrescentou Maia. 

Os governadores dos sete Estados que compõe o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) assinaram uma carta aberta no final de maio, em Gramado (RS), em que expressam apoio a reformas estruturais, em especial à da Previdência. Entre eles, há unanimidade relação à vinculação da Reforma da Previdência aos estados. A quarta reunião do Cosud foi marcada para sábado (13) em Vitória (ES).


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: