Sul, capital fechado

O ingresso da paranaense BBM Logística pode inspirar mais empresas do Sul a atuarem na bolsa

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

O ingresso da paranaense BBM Logística pode inspirar mais empresas do Sul a atuarem na bolsa

O ingresso recente da paranaense BBM Logística (foto) no mercado de acesso da B3 pode inspirar outras companhias da região a fazerem o mesmo.  A empresa de São José dos Pinhais se listou no Bovespa Mais, segmento que permite que a empresa se exponha ao mercado, mas não realize uma oferta pública de ações. Ou seja, não é possível negociar ações da BBM no momento.  Em 2017, a BBM recebeu aporte do fundo de private equity Stratus e se tornou um dos principais operadores logísticos do Mercosul. Só em 2018, a BBM registrou expansão de 75%, atingindo receita bruta de quase R$ 600 milhões.

Atualmente são 17 companhias integram o Bovespa Mais, quatro delas do Sul (além da BBM, a Cinesystem, do Paraná; a Flex, de Santa Catarina; e a gaúcha Stara). Porém, das 427 ações listadas, apenas 57 possuem sede na região – do total, quase metade (26) é do Rio Grande do Sul. Na visão de Mehanna Mehanna, professor da pós-graduação da Escola de Negócios da PUCPR, o principal entrave para que mais empresas ingressem na Bolsa está na série de requisitos pedidos. As exigências estabelecem normas para estrutura societária,  compliance e demonstrações contábeis. “O processo é extremamente custoso, e limita o acesso para MPEs”, entende o especialista. 

Mehanna sugere mais flexibilidade para que mais companhias debutem na B3. “O amadurecimento do mercado de capitais, com aumento do número de investidores, pode impulsionar o movimento, dando mais liquidez”, opina. Em abril, a B3 alcançou mais de 1 milhão de investidores pessoa física no mercado de renda variável.  A Bolsa também fez uma pesquisa sobre investimentos. Ela revelou que um dos mitos dos investidores novatos é a percepção de que, para iniciar suas aplicações, é necessária grande quantidade de dinheiro. 

Nesse ponto, a B3 identificou que é preciso aumentar o nível de conhecimento das pessoas sobre o tema. Assim, será possível entender que se deve começar a investir com pouco, diversificar logo no início e aplicar além da poupança, por exemplo. “Uma taxa de juros estruturalmente mais baixa, assim como a reforma da previdência, podem melhorar a perspectiva para economia brasileira e atrair mais recursos, levando mais investidores e empresas para o mercado”, concorda Mehanna.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: