Governadores defendem nova Previdência e privatização do saneamento

Na Carta de Gramado, Consórcio de Integração Sul e Sudeste manifesta apoio na busca do equilíbrio fiscal

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Na Carta de Gramado, Cosud manifesta apoio a reformas e à medida provisória do saneamento

Reunidos em Gramado (RS) neste sábado (25), os governadores dos sete Estados que compõe o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) assinaram uma carta aberta em que expressam apoio a reformas estruturais, em especial à da Previdência, na busca pelo equilíbrio fiscal, e prometem um esforço conjunto em prol de uma agenda de crescimento para o país.

“Reunimos 70% do PIB do país e mais da metade da população brasileira. Nossos Estados têm uma clara afinidade, completamos as ações uns dos outros e isso nos estimula a buscarmos coordenação de esforços. Isso não significa consenso absoluto e que não tenhamos espaços de competição e divergência, mas que compreendemos que vamos melhorar muito mais a vida da sociedade e dos Estados a partir desse processo de integração do Cosud”, destacou o anfitrião do evento, governador Eduardo Leite.

A chamada Carta de Gramado foi construída em conjunto pelos governadores Eduardo Leite (RS), Carlos Moisés (SC), Ratinho Júnior (PR), João Doria (SP), Renato Casagrande (ES) e Romeu Zema (MG) e pelo vice-governador Cláudio Castro, representando Wilson Witzel (RJ), no final da manhã deste sábado. Em coletiva de imprensa, Leite leu a íntegra do documento. A Carta inclui apoio do RS, SP, MG, RJ e SC à medida provisória 868, a MP do Saneamento. Caso aprovada, “permitirá modelagens financeiras robustas que irão de fato possibilitar ao país superar a profunda dívida com a sociedade na prestação de serviços essenciais ao bem-estar individual e coletivo”, destacam os governadores desses Estados.

Apesar de apresentar ressalvas à medida provisória, ES e PR expressam apoio a uma “maior participação do capital privado nos investimentos necessários para a universalização dos serviços. Todos concordam com a necessidade de atrair mais investimentos, aumentar a cobertura e melhorar a qualidade dos serviços”.

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, destacou a união dos Estados que têm pautas comuns para compartilhar experiências e avançar em conjunto. “Juntos teremos muito mais forças para que o interesse do cidadão esteja sempre acima de tudo”, afirmou. Moisés ainda lembrou da transformação pela qual passam as administrações estaduais, com critérios técnicos para nomeações e metas de resultados. “Sempre falamos muito bem dos exemplos da iniciativa privada, então precisamos trazer tudo isso para o poder público”, resumiu o governador, no início do encontro.

Ratinho Junior reafirmou o compromisso do Paraná com o equilíbrio fiscal, desenvolvimento sustentável e combate a desigualdades. Ele enfatizou a importância do trabalho em conjunto para atingir os objetivos. “No Paraná, os consórcios municipais funcionam muito bem. Os recursos públicos são otimizados e agilizam soluções para problemas regionais. Portanto, essas reuniões de governadores do Sul e Sudeste facilitarão a nossa busca por respostas na área de gestão”, projetou. Para Ratinho Junior, as mudanças na previdência são fundamentais para o País. “Nós estamos deixando claro nossa posição porque esse é um grande problema para o Brasil. Países europeus já tem o costume de repensar a previdência a cada 20 ou 30 anos. Essa medida é necessária para que o País volte a crescer e os estados a se desenvolver”, afirmou Ratinho Junior. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, há unanimidade entre os governadores em relação à vinculação da Reforma da Previdência aos estados. “A desvinculação não é adequada e não corresponde aos interesses dos estados de legitimidade e cidadania”, recordou.

A quarta reunião do Cosud foi marcada para o dia 13 de julho em Vitória (ES).


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: